Atenção alunos! Vaga para monitoria no 14° Goiânia Mostra Curtas

0

Atenção alunos, o 14ª  Goiânia Mostra Curtas está em fase de produção! O evento irá acontecer de 07 a 12 de Outubro de 2014 e caso queiram participar do evento como monitores, por favor, respondam o seguinte e-mail :<icumam@icumam.com.br> informando a sua disponibilidade para que a organização possa agendar uma pequena reunião para definir os detalhes da monitoria.

Lembrando que, ao participar da mostra como apoio, vocês estarão adquirindo experiência e participando da equipe de produção de um dos mais expressivos festivais de curta metragem do país, com convidados nacionais da industria cinematográfica. Além disso, será disponibilizado certificado de horas para todos os monitores.

Contamos com o apoio de todos. Participem!

1782149_661827600565245_5985045582403854204_n

 

 

Maiores informações: http://www.goianiamostracurtas.com.br/gmc_2014/

 

 

3º CONCURSO DE FOTOGRAFIAS: “Patrimônio Histórico e Cultural de MS – NOB 100 Anos”

0

 

nob

 

A Fundação de Cultura do Governo de Mato Grosso do Sul lançou a terceira edição do Concurso de Fotografias: Patrimônio Histórico e Cultural de Mato Grosso do Sul – Nossa Identidade NOB 100 anos, que selecionará trabalhos inéditos produzidos por fotógrafos profissionais ou amadores por meio da temática da Noroeste do Brasil, ferrovia que consolidou a identidade do Estado.

Serão selecionadas vinte fotografias que passarão a compor o acervo do Museu da Imagem e do Som. Os três primeiros colocados serão premiados com R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1 mil, respectivamente. Os candidatos classificados do 4º ao 20º lugar receberão Certificados de Menção Honrosa.

As inscrições estarão abertas no período de 09 de junho de 2014 a 11 de agosto de 2014 e deverão ser encaminhadas por meio da Ficha de Inscrição (anexo I) devidamente preenchida com todas as informações solicitadas, juntamente com o material de que trata o artigo 4º para o seguinte endereço em envelope lacrado, exclusivamente por meio dos Correios através de SEDEX:

Edital de Seleção de Fotografias:

“PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL DE MS – NOSSA IDENTIDADE NOB 100 ANOS”

Museu da Imagem e do Som de Mato Grosso do Sul (MIS de MS)

Memorial da Cultura e Cidadania Apolônio de Carvalho

Avenida Fernando Corrêa da Costa, 559, 3º andar

CEP 79002-820

Campo Grande, MS

 

Info: http://migre.me/jSvJ4

“Semiosis” o novo livro do fotógrafo Rafael Benevides

0

 

rafael-Benevides-Wedding-brazil2014-001

 

Semiosis – A poesia dos signos na fotografia de casamento” é o mais novo livro do fotógrafo Rafael Benevides. A obra é um compilado de mais de 100 fotografias com pequenos trechos de poesias de autoria do próprio Rafael  e também de Fernando Baccareli e Cássio Lucena. A intenção do livro é de discursar sobre os símbolos e suas conexões, analisando a semiótica das imagens. “O projeto pode ser um mergulho profundo no que somos”, diz o autor sobre a forma intimista que as imagens são apresentadas ao leitor.

foto-4

O livro do pernambucano traz sua experiência de 20 anos materializando um sonho: “Eu me preparei muito para este projeto”, disse o fotógrafo. “Este livro é diferente porque hoje em dia enxergo uma fotografia construída”. Este estilo, que surge depois de uma vivência fortemente enraizada na fotografia de casamento, lida com a questão de direção de modelos e iluminação.  uma fotografia construída com a identidade do fotógrafo.

benevides5

Através de uma linguagem poética, o livro tem a missão de inspirar e despertar no observador as múltiplas e incertas possibilidades de leitura dos signos. Estas direções de interpretação surgem na interseção da subjetividade e do repertório do fotógrafo com a dos seus receptores. “É uma miscelânea de sentimentos e símbolos que falam por mim ou ao meu respeito”, analisa Rafael. “O livro é o reflexo de um momento maduro de minha trajetória”.

 

benevides3

 

O fotógrafo ministra workshops pelo Brasil, chegando com seu jeito low profile, porém compartilhando técnicas e efeitos que refletem e destacam sua inquietude, inventividade e dinamismo profissionais.

 

benevides4

benevides1

Fonte: http://photos.uol.com.br

Dicas do dia: Cinco dicas para criar ótimas fotos minimalistas

0

Aprenda a utilizar espaços negativos e destacar o assunto em suas fotografias

 

Quando estamos fotografando, geralmente focamos nossa atenção no assunto principal e nos certificamos que ele estará na foto. Nossa concentração em assegurar isto, faz com que não prestamos atenção a áreas vazias da foto. Espaço negativos ou áreas que não são ocupadas pelo assunto ou outro objeto, podem ser usados com sucesso para causar impacto e até mesmo destacar o assunto.

Aqui você encontra cinco motivos para criar grandes fotografias minimalistas:

 

Foto: Taxydro

 

 

Proporciona equilíbrio

Não importa que tipo de fotografia você está fazendo, seja uma paisagem em grande angular ou uma foto macro de um inseto, você pode usar o espaço negativo para balancear a imagem. O espaço positivo, aquele que está sendo ocupado pelo objeto fotografado, pode parecer oprimido se não houver um espaço livre na imagem. O espectador não saberá para onde olhar e descansar os olhos.  Você pode usar a regra dos terços, colocando o objeto em um terço do quadro (frame) e deixar vazios os dois terços restantes.

Foto: German Ribota

Foto: German Ribota

 

Destaca o assunto

Se o assunto estiver rodeado por um espaço vazio, o espectador não terá um ponto para perder a atenção, senão o assunto fotografado. O espectador pode apreciar plenamente o assunto, sem distrações como um fundo poluído. Com o uso adequando do espaço negativo, o assunto é isolado e colocado em um ponto de interesse. Até mesmo as coisas mais simples terão grande destaque quando a imagem tiver este tipo de composição.

 

 

Foto: Jack Sanches

Foto: Jack Sanches

 

Ajudar a criar atmosfera

Espaços negativos podem facilmente mudar o humor da imagem e evocar diferentes emoções. Por exemplo, uma imagem que mostra um céu vazio pode passar tranquilidade. Um simples espaço escuro pode adicionar dramaticidade ao assunto.

 

042

 

Permite o ‘respiro’

Quando estiver compondo a imagem, deixe espaços de respiro para o assunto ser devidamente apreciado. O assunto não ficará apertado e o uso do espaço negativo o deixará mais atrativo.

Amirul-Amin

Cria formas e padrões interessantes

Objetos criam formas e padrões, mas espaços vazios também podem dar esta sensação para o foco principal da imagem. Uma das imagens mais populares que retratam espaço negativo mostra apenas duas silhuetas frente a frente. O espaço claro entre as duas figuras sempre rendem alguma forma inesperada e interessante. O cérebro humano sempre tenta criar padrões para o que os olhos veem e espaços negativos em silhuetas são um prato cheio para a imaginação.

Sempre que compor uma fotografia, preste muita atenção nos espaços vazios e não apenas no assunto. Experiências alterando a posição do assunto também é uma ótima ideia e sempre nos surpreendemos com os resultados obtidos. Os espaços negativos são aliados poderosos quando usados com sabedoria e podem mudar completamente uma imagem, tornando-a uma fotografia cativante.

Post e Textos Originais: Photopoly

 

Inspiração do dia: Amy Friend e suas fotografias Brilhantes

0

Em sua série mais recente intitulada “Dare alla Luce“, a artista canadense Amy Friend cria intervenções em fotografias antigas, através de pequenos furos ela permite que a luz passe através delas, criando não só uma releitura das fotos, mas sim uma nova percepção.

A expressão italiana Dare alla Luce, esta relacionada com o nascimento e dar a luz é o que ela faz literalmente nessa série. Apesar de alterar o estado original dessas fotografias, parece que ela só ressalta sua natureza, sem alterar o sentido da imagem, mas sim aumentando sua carga emocional. Ela pretende questionar a qualidade frágil do objeto fotográfico e também a própria fragilidade de nossas vidas, nossa história. Amy tem uma habilidade incrível para absorver de uma imagem a nostalgia e revelar a beleza sutil de cada momento.

A ideia do projeto, nas palavras de sua criadora: “(…) uma vida, um rosto, um momento, mas apenas uma visão momentânea” que alterado, espera trazer à vida a luz por trás da superfície considerada desconhecida.”

Confiram o lindo e delicado trabalho da artista:

 

amy-friend-canada-zupi-15

amy-friend-canada-zupi-12

amy-friend-canada-zupi-10

amy-friend-canada-zupi-9

amy-friend-canada-zupi-8

amy-friend-canada-zupi-4

amy3

amy2

Curso de Fotografia e Cinema da Faculdade Cambury

0

   Nós do Curso de Fotografia e Cinema da Faculdade Cambury desejamos Boas vindas aos veteranos, calouros e aos demais simpatizantes. O curso oferece ao aluno as modalidades não só de fotografia mas também de audiovisual onde o aluno aprenderá a dominar a teoria e a prática da criação de fotografia e vídeo, utilizar tecnologias avançadas nos processos artísticos e técnicos relacionados à imagem, criar, produzir e dirigir projetos de fotografia e vídeo, dominar conhecimentos de hipermídia, projeção, instalação e administração de arquivos de fotografia e material iconográfico, desenvolver  técnicas para recuperar e conservar fotografias, cromos e filmes e aplicar efeitos especiais em fotos com recursos digitais. E com a chegada dos novos equipamentos o curso ficou ainda mais completo. Deem uma espiada!

final fot

Refletor de Led Teleprompter shoulder mount Shoulder Mount Rig with Motorized IMG_1789

final video

 

 

 

 

Programação da semana Cine Cultura

0

E atenção galera, as férias estão acabando mas o cinema continua! Estreou ontem dia 31 de julho no Cine Cultura o longa-metragem argentino ‘O Estudante’ de Santiago Mitre. O filme entra em cartaz de 31 de julho a 06 de agosto com sessões às 19h (segunda a sexta) e às 18h30 (sábado e domingo). E continua em cartaz durante sua última semana o longa Venezuelano ‘Pelo Malo’ da diretora Mariana Rondón. Não percam o horário da sessão e aproveitem!

O Estudante

Roque, um jovem do interior, chega a Buenos Aires para começar pela terceira vez a faculdade. Sem interesse nas aulas, ele se ocupa fazendo amigos e conhecendo garotas. Uma delas, Paula, o apresenta ao mundo da militância política. Numa das reuniões do partido dela, ele conhece Alberto, um ex-político e professor da universidade. Com ele, Roque aprende a ser líder estudantil e encontra sua vocação. E logo percebe que as regras desse universo não são muito diferentes daquelas da política fora das universidades. Em entrevista à Folha, Santiago Mitre, diretor do longa afirma: “É uma fábula política, sobre o poder e os consensos,mas passada num microcosmos particular: o da universidade pública”. O filme conta com 21 prêmios, entre eles prêmios do júri no Festival de Locarno e no Bafici (festival de cinema independente de Buenos Aires)

Pelo Malo

O título deste drama desperta curiosidade: “Pelo Malo”, em espanhol, significa “cabelo ruim”. O nome não foi traduzido pelos distribuidores brasileiros, talvez para não remeter a qualquer ideia de preconceito. Mas o preconceito é justamente o tema desta bela obra venezuelana, não apenas contra o dito cabelo ruim, mas também contra a homossexualidade, a pobreza, as mulheres etc. Pelo Malo é, de certa forma, um filme sobre a dominação e a injustiça em sociedades pobres. (Críticas AdoroCinema)

Boa Sessão!

I° Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental – Cine Cultura – Goiânia

0

 

documentário

 

O I Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental que será realizado de 30 de agosto à 7 de setembro em Goiânia, no Brasil, divulga sua seleção oficial para mostra competitiva de curtas e longas-metragens. São 19 filmes selecionados para a mostra competitiva de curtas metragens, com filmes de duração entre 3 e 30 minutos, e 17 filmes selecionados para a mostra competitiva de longas, com filme de duração entre 41 e 120 minutos, reforçando a diversidade de gêneros, dispositivos, formatos e duração do cinema experimental e documentário mundial.

 

A primeira edição recebeu para sua Mostra Competitiva Internacional, entre 08 de abril e 13 de junho, 767 filmes oriundos de 63 países, que refletem o contato direto com os conceitos de fronteira perseguidos pelo projeto. A curadoria foi composta por Toni D’Angela, crítico de cinema, editor-chefe da revista italiana La Furia Umana, Marcelo Ribeiro, professor e crítico de cinema, editor do site Incinerrante, Marcela Borela, realizadora e produtora, Henrique Borela, antropólogo e realizador, e Rafael Parrode, crítico da Revista Cinética e programador.

 

Os filmes selecionados refletem tanto uma diversidade de procedimentos e experimentações que rompem com as tradições formais e imposições de uma indústria, quanto uma tentativa de olhar para diferentes partes do mundo buscando conectar esses movimentos de resistência propostos por diferentes realizadores, de diferentes tradições cinematográficas. A seleção trata o documentário e o experimental como propostas que se entrelaçam, que convergem para si próprias buscando refletir as diferentes percepções de mundo, um encontro com o outro que só o cinema é capaz de possibilitar.

 

Entre os curtas que se entregam de maneira mais radical às experimentações está o novo trabalho do grande cineasta francês Jean-Claude Rousseau, “Sous un Ciel Changeant”; “Just Like Us”, de Jesse Mclean, vencedor do último festival de curtas de Oberhausen; a estréia mundial de “Soon” da videoartista Jeanne Liotta, o brasileiro “O Porto” exibido nos festivais de Locarno e Tiradentes, o peruano “Solo te Puedo Mostrar el Color” que competiu este ano na Berlinale, e “Godka Cirka” curta da Somália exibido em festivais como Sundance e Rotterdam.

 

Entre os longas, são destaques “Carta a um Padre” de Edgardo Cozarinski, um dos maiores cineastas argentinos em atividade; “The Ugly One”, dirigido por Eric Baudelaire e selecionado para as mostras festivais de Locarno, Rotterdam e Doclisboa; “The Unity of All Things” dirigido pelo artista multimídia Alexander Carver e pelo realizador Daniel Schimdt, também em competição no festival de Locarno 2013; “Los Angeles Red Squad” dirigido pelo americano Travis Wilkerson, um dos mais importantes ensaístas audiovisuais contemporâneos;  “Sauerbruch Hutton Architects”, novo longa do lendário cineasta alemão Harun Farocki. Em competição ainda estão “Manakamana”, melhor filme da competição cineastti del presenti no Festival de Locarno 2013. Entre os brasileiros estão “A Vizinhança do Tigre”, de Affonso Uchôa, Melhor Filme no Festival de Tiradentes  2014 e “Branco sai, Preto fica”  , de Adirley Queiróz,  Prêmio Olhares Brasil para Melhor Longa Metragem Brasileiro da Mostra Competitiva, Outros Olhares e Novos Olhares e Prêmio especial do Júri em 2013, também menção honrosa em Tiradentes 2013.

 

 

FILMES SELECIONADOS

MOSTRA COMPETITIVA INTERNACIONAL – I FRONTEIRA

 

LONGAS-METRAGEM

 

A flea´s skin would be too big for you

Alemanha/Germany, 2013, 47’, Cor/Color

Diretor/Director: Anja Dornieden e Juan David González Monroy

A Vizinhança do Tigre

Brasil/Brazil, 2014, 95’, Cor/Color

Diretor/Director: Affonso Uchoa

American Dreamer

França/France, 2014, 55’, Cor/Color

Diretor/Director: Marc Hurtado

Batguano

Brasil/Brazil, 2013, 73’, Cor/Color

Diretor/Director: Tavinho Teixeira

Branco sai, preto fica

Brasil/Brazil, 2013, 93’, Cor/Color

Diretor/Director: Adirley Queirós

Carta a un padre

Argentina, 2013, 63”, Cor/Color

Diretor/Director: Edgardo Cozarinsky

Costa da Morte

Espanha/Spain, 2013, 81’, Cor/Color

Diretor/Director: Lois Patiño

Hotel Nueva Isla

Cuba, 2014, 71’, Cor/Color

Diretor/Director: Irene Gutiérrez

Il segreto

Itália/Italy, 2013, 83’, Cor/Color

Diretor/Director: cyop&kaf

Kelly

França/France, 2013, 67”, Cor/Color

Diretor/Director: Stéphanie Régnier

La Fièvre

França-Marrocos/France-Morocco, 2014, 40’, Cor/Color

Diretor/Director: Safia Benhaim

Los Angeles Red Squad

EUA/USA, 2013, 70”, Cor/Color

Diretor/Director: Travis Wilkerson

Mambo Cool

Colômbia, 2013, 62’, Cor/Color

Diretor/Director: Chris Gude

Manakamana

Nepal, 2013, 118’, Cor/Color

Diretor/Director: Stephanie Spray e Pacho Velez

Sauerbruch Hutton Architekten

Alemanha/Germany, 2013, 73”, Cor/Color

Diretor/Director: Harun Farocki

The Ugly One

França/France, 2013, 101’, Cor/Color

Diretor/Director: Eric Baudelaire

The Unity of all things

Suíça/Switzerland, 2013, 98’, Cor/Color

Diretor/Director: Alexander Carver e Daniel Schmidt

Xu Jiao (Out of Focus)

China, 2013, 88’, Cor/Color

Diretor/Director: Shengze Zhu

 

 

 

CURTAS-METRAGEM

 

45 7 Broadway

EUA, 2013, 5’, Cor

Diretor/Director: Tomonari Nishikawa

All what is somehow useful

Holanda/Nederland, 2013, 7’, P&B/B&W

Diretor/Director: Pim Zwier

America

EUA/USA, 2013, 7’, Cor/Color

Diretor/Director: Valerie Massadian

Árvore da vida

França-Portugal/France-Portugal, 2013, 10’, Cor/Color

Diretor/Director: Jacques Perconte

Broken Tongue

EUA/Usa, 2014, 3’, Cor/Color

Diretor/Director: Mónica Savirón

Casa Forte

Brasil/Brazil, 2013, 10’, Cor/Color

Diretor/Director: Rodrigo Almeida

Godka Circa

Somália, 2013, 10’, Cor

Diretor/Director: Antonio Tibaldi & Alex Lora

Just Like Us

EUA/USA, 2013, 15’, Cor/Color

Diretor/Director: Jesse McLean

Karioka

Brasil, 2014, 20’, Cor

Direção: Takumã Kuikuro

Liquidation

França/France, 2013, 20’, Cor/Color

Diretor/Director: Christophe Bisson

O Porto

Brasil, 2013, 20’, Cor

Direção: Clarissa Campolina, Julia De Simone, Luiz Pretti, Ricardo Pretti

Oneiria

Bélgica, 2014, 3’, Cor

Direção: Jeroen Cluckers

Our shadows will

Sérvia/Servia, 2014, 8’, Cor/Color

Diretor/Director: Vladimir Perisic

Serpentine

EUA/USA, 2014, 26’, Cor/Color

Diretor/Director: Stephanie Wuertz

Solo te puedo mostrar el color

Perú/Peru, 2014, 24’, Cor/Color

Diretor/Director: Fernando Vílchez Rodríguez

Soon

EUA/USA, 2014, 6’, Cor/Color

Diretor/Director: Jeanne Liotta

Sous un ciel changeant

França/France, 2013, 12’, Cor/Color

Diretor/Director: Jean-Claude Rousseau

Un passage d’Eau

França/França, 2014, 23’, Cor/Color

Diretor/Director: Chloé Maillet e Louise Hervé

We had the experience but missed the meaning

Espanha-EUA/Spain-USA, 2014, 8’, Cor/Color

Diretor/Director: Laida Lertxundi

 

 

O I FRONTEIRA é composto também por mais 7 mostras especiais, 2 mostras em trânsito; e ações de formação e reflexão: uma residência, um workshop, uma palestra e diversas sessões comentadas e debates que compõem a programação das mostras.

 

Em sua primeira edição, o Fronteira se dedica aos filmes do cineasta brasileiro Andrea Tonacci, exibindo filmes raros dentro de sua filmografia, além é claro de seus títulos clássicos como “Bang Bang”, “Bla Bla Bla” e “Serras da Desordem”. Haverá também exibição de seu filme mais recente, “Já Visto Jamais Visto”.

 

Outro cineasta que se destaca na programação especial do Fronteira é o alemão Harun Farocki que contará com a exibição de outro de seus filmes mais recentes (“A New Product”, 2013), bem como de outros títulos de sua extensa carreira, e a exposição de sua instalação “Paralelos de I a IV”, que se realizará na sala de exposições do Museu da Imagem e do Som no Centro Cultural Marietta Telles Machado.

 

O Fronteira conta também com duas mostras especialíssimas, de curadoria do crítico e pesquisador de cinema italiano Toni D’Angela: “Câmera DOC – O olho do mundo e seus conflitos”, que exibirá experiências de combate e de resistência através do cinema nestes tempos de conflitos e guerras que se espalham pelo mundo; e Clássicos do Cinema Experimental… e mais algumas coisas”, voltada para filmes novos de realizadores veteranos definidores do cinema experimental, e que ainda continuam produzindo filmes decisivos, com espaço para outros jovens cineastas experimentais que ainda buscam se reafirmar entre os grandes.

 

A mostra “Cineastas na Fronteira” propõe um recorte autoral de realizadores que se colocam radicalmente no pensamento da fronteira através de seus filmes. Estão presentes filmes do “enfant terrible” do novo cinema filipino Khavn de La Cruz, as experimentações políticas e arqueológicas do português Rui Simões, e do franco-marroquino Marc Hurtado, além de filmes de um dos mais interessantes realizadores brasileiros atuais, Marcelo Pedroso.

 

Outra mostra especial chama-se “Cadmus e o Dragão”, que se inspira nas palavras de Claude Levi Strauss em sua visita à cidade de Goiânia, quando de sua construção no início dos anos 20. A mostra reúne filmes de alguns dos mais importantes realizadores goianos que se dedicaram a registrar a opressão e a marginalidade da cidade de Goiânia, trazendo à tona a imagem infernal descrita pelo filósofo francês em seu “Tristes Trópicos”. Serão exibidos filmes realizados por Belém de Oliveira, Kim Ir Sem, Carlos Cipriano, Cláudia Nunes e pelo Movimento do Video Popular.

 

O Fronteira recebe ainda mostras paralelas que localizam experiências de cinema importantes como é o caso do programa Experimental Film Society, dedicado a realizadores independentes e radicais que realizam filmes conjuntamente e sem recursos em países da Europa e do Oriente Médio como Irã, Irlanda, Inglaterra, Espanha e França.

 

Já o programa Hambre Cine, é uma associação latino-americana que reúne os principais realizadores experimentais da América Latina, exibindo títulos importantes dessa nova safra do cinema experimental.

 

 

 

PROGRAMAÇÃO MOSTRAS ESPECIAIS

 

 

Cinema da transformação: percursos de Andrea Tonacci

 

Bang Bang

Brasil/Brazil, 1970, 90’, 35mm, p&b

Conversas no Maranhão

Brasil/Brazil, 1977, 120’, 16mm, COR/COLOR

Arara

Brasil/Brazil, 1980-83, 75’, HSVT/U-Matic, COR/COLOR

Bienal Brasil Século XX

Brasil/Brazil, 1994, 65’, Beta, COR/COLOR

Biblioteca Nacional

Brasil/Brazil, 1997, 22’, DV, COR/COLOR

CINEMA OF TRANSFORMATION: PATHWAYS OF ANDREA TONACCITeatro Municipal

Brasil/Brazil, 1998, 23’, DV, COR/COLOR

Serras da Desordem

Brasil/Brazil, 2006, 135’, 35mm, COR/COLOR

Já visto, jamais visto

Brasil/Brazil, 2013, 54’, 16mm, COR/COLOR

 

 

Câmera Doc: o olho no mundo e seus conflitos

 

23, August, 2008

Inglaterra/UK, 2013, 22’, Cor/Color

Diretor/Director: Laura Mulvey

Disgraced Monuments

Inglaterra/UK, 1993, 48’, Cor/Color

Diretor/Director: Laura Mulvey

Distinguished Flying Crosses

EUA/USA, 2011, 62’, Cor/Color

Diretor/Director: Travis Wilkerson

Our Body is a Weapon: Los Desnudos

França/France, 2012, 13’, Cor/Color

Diretor/Director: Clarisse Hahn

Our Body is a Weapon: Guerrilha

França/France, 2012, 19’, Cor/Color

Diretor/Director: Clarisse Hahn

Our Body is a Weapon: Prisions

França/France, 2012, 8’, Cor/Color

Diretor/Director: Clarisse Hahn

Riding the Tiger

EUA/USA, 2014, 45’, Cor/Color

Diretor/Director: Abigail Child

The Silent Majority Speaks

Irã/Iran, 2012, 93’, Cor/Color

Diretor/Director: Bani Khoshnoudi

 

 

Clássicos do cinema experimental … E algo mais

 

Elsa

EUA/USA, 2013, 3’, Cor/Color

Diretor/Director: Abigail Child

Irresolute

Inglaterra/UK, 2013, 2’, Cor/Color

Diretor: Director: Scott Barley

Let Your Light Shine

Inglaterra/UK, 2013, 3’, Cor/Color

Diretor/Director: Jodie Mack

Orpheus (outtakes)

EUA/USA, 2012, 6’, P&B/B&W

Diretor/Director: Mary Helena Clark

Psalm IV: The Valley of Shadows

EUA/USA, 2013, 7’, Cor/Color

Diretor/Director: Phil Solomon

Retrograde Premonition

EUA/USA, 2010, 5’, Cor/Color

Diretor/Director: Leighton Pierce

Sharp Edge Blunch

EUA/USA, 2010, 2’, Cor/Color

Diretor/Director: Leighton Pierce

The Emblazoned Apparitions

EUA/USA, 2013, 7’, Cor/Color

Diretor/Director: Phil Solomon

Three Land Scapes

EUA/USA, 2013, 47’, Cor/Color

Diretor/Director: Peter Hutton

Two Renching Departures

EUA/USA, 2006, 90’, P&B/B&W

Diretor/Director: Ken Jacob 

Unbound

EUA/USA, 2013, 67’, Cor/Color

Diretor/Director: Abigail Child

Vis a Vis

EUA/USA, 2013, 24’, P&B/B&W

Diretor/Director: Abigail Child

Withe Ash

EUA/USA, 2014, 30’, Cor/Color

Diretor/Director: Leighton Pierce

 

 

Cineastas na fronteira – Cine Cultura

 

Mondomanila, or: how I fixed my hair after a rather long journey

Filipinas|Alemanhã/ Philippines|Germany, 2010, 75’, Cor/Color

Diretor/Director: Khavn De La Cruz

EDSA XXX: Nothing Ever Changes

Filipinas|Alemanhã/ Philippines|Germany, 2012, 80’, Cor/Color

Diretor/Director: Khavn De La Cruz

Misericordia: The last mystery of Kristo Vampiro

Filipinas|Alemanhã/ Philippines| Germany, 2013, 70’, Cor/Color

Diretor/Director: Khavn De La Cruz

Ciel Tierre Ciel

França/France, 2009, 5’, Cor/Color

Diretor/Director: Marc Hurtado

Jajouka

França|Marrocos/France|Marocco, 2012, 59’, Cor/Color

Diretor/Director: Marc e Eric Hurtado

Pacific

Brasil/Brazil, 2009, 72’,Cor/Color

Corpo Presente

Brasil/Brazil, 2011, 21’, Cor/Color

Diretor/Director: Marcelo Pedroso

Câmera Escura

Brasil/Brazil, 2012, 25’, Cor/Color

Diretor/Director: Marcelo Pedroso

Em Trânsito

Brasil/Brazil, 2013, 18’, Cor/Color

Diretor/Director: Marcelo Pedroso

Deus, Pátria, Autoridade

Portugal/Portugal, 1975, 110’, P&B/B&W

Diretor/Director: Rui Simões

O Bom Povo Português

Portugal/Portugal, 1980, 135’, P&B/B&W

Diretor/Director: Rui Simões

Guerra ou Paz

Portugal/Portugal, 2012, 97’, Cor/Color

Diretor/Director: Rui Simões

 


Cadmus e o Dragão

 

295.5

Brasil, 1981, 12’, 16mm, p&b.

Direção: Lourival Belém Jr.

Clareza

Brasil, 2009, 2’, HD, p&b.

Direção: Carlos Cipriano

Número Zero

Brasil, 2010, 22’, Vídeo, p&b/cor.

Direção: Claudia Nunes

Passageiros da Segunda Classe

Brasil, 2001, 21’, 16mm, p&b

Direção/Director: Kim-ir-sem, Luiz Eduardo Jorge, Waldir de Pina

Quinta Essência

Brasil, 1981, 17’, 16mm, p&b. Direção: Lourival Belém Jr. e Ronaldo Araújo

Recordações de um Presídio de Meninos Brasil, 2008, 28’, 16mm, p&b. Direção: Lourival Belém Jr.

Verdade ou Consequência

Brasil, 2010, 15’, HD, cor. Direção: Adolescentes Internos no CIA: K.M.A. / B.I. / G.R.S. / W.O.

 

 

Hambre: foco américa latina experimental

 

CASA CIRCULAR

Equador, 2011, 9’, Cor/Color

Diretor/Director: Daniela Delgado

EL FIN

Argentina, 1996, 12’, Cor

Diretor/Director: Germán Scelso

MAURO EM CAIENA

Brasil/Brazil, 2012, 19’, P&B

Diretor/Director: Leonardo Mouramateus

MULTIZONA

Argentina, 2013, 5’, Cor/Color

Diretor/Director: Leonardo Zito

OD-EL CAMINO

Colômbia, 2003, 30’, Cor/Color

Diretor/Director: Martin Mejia Rugeles

SOLDADERA

México, 2014, 6’, Cor/Color

Diretor/Director: Coletivo Los Ingrávidos

ZUGANG

Colômbia/Argentina, 2011, 14’, Cor/P&B

Diretor/Director: Leonardo Mouramateus

 

 

 

I FRONTEIRA – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental

De 30 de agosto à 7 de setembro – Goiânia – Goiás – Brasil

Cine Cultura – Praça Doutor Pedro Ludovico Teixeira, 2 – Setor Centro -  3201-4670

Cine UFG – Campus II – UFG – Campus Samambaia  -  (62) 3521-1267

MIS-GO – Museu da Imagem e do Som de Goiás – Centro Cultural Marieta Telles Machado – Praça Cívica, nº 2, Centro – (62) 3201-4644 – 3201-4673 – 3201-4651

Centro Cultural Grande Hotel – Rua 3, esquina com Avenida Goiás, Centro.

site: www.fronteirafestival.com

Facebook: www.facebook.com/fronteirafestival

Twitter: @fronteirafest

Aberta as inscrições para o 14° Goiânia Mostra Curtas

0

 

Atenção galera não percam a data, as inscrições para filmes no 14° Goiânia Mostra Curtas vão até dia 31 de Julho. O festival acontecerá do dia 7 ao dia 12 de outubro de 2014. Participem, Compareçam!

 

 

1782149_661827600565245_5985045582403854204_n

 

Acesse o regulamento em: www.goianiamostracurtas.com.br

 

 

 

Palestra com a fotógrafa Lucille Kanzawa hoje na Faculdade Cambury

0

348763007_640

 A fotógrafa Lucille Kanzawa irá ministrar uma palestra hoje as 20hs no centro de convivência da  Faculdade Cambury. O tema da palestra é Poética e identidade na fotografia autoral. 

     Neta de japoneses, seus avós paternos eram de Negano e os maternos de Fukishima no Japão. Lucille nasceu em Mirandópolis, São Paulo, e teve a vida centrada nos ensinamentos de seu pai, que nasceu em Alianças, zona rural do município. Lá eles viviam em uma comunidade denominada Yuba onde o objetivo comunitário visava a arte. Com o espirito aventureiro, Lucille sempre teve sede de sabedoria, buscou conhecer, se inspirar, e na fotografia uniu o que buscou, aprendeu e conheceu ao seu dom e as artes, a riqueza de suas origens. Que prevalece em seu trabalho fotográfico.

     A fotógrafa formou-se em tradutora-intérprete pela Unibero, em São Paulo. Morou nos Estados Unidos, Alemanha, França e Israel, e visitou cerca de 50 países. A fotógrafa,  que se apega  fortemente a sua ancestralidade,  também viajou o mundo nos muitos anos em que voava como comissária. Foi colaboradora da extinta revista Caminhos da TERRA, editora Peixes, de 2002 a 2007, onde publicou matérias (textos e fotos) sobre lugares exóticos.Em 2005, recebeu o Prêmio Porto Seguro de Fotografia – categoria Revelação, e foi premiada com o segundo lugar no concurso “Universo Familiar”, promovido pelo Centro da Cultura Judaica.

     Realizou mostras individuais na Caixa Cultural de São Paulo e de Brasília; na Assembleia Legislativa de São Paulo; na Pinacoteca do Estado de São Paulo; na Galeria Pierre Verger ( no “IV Festival Nacional Agosto da Fotografia”), em Salvador, BA e no Ateliê Canto dos Artistas (no “Pequeno Encontro da Fotografia”), em Olinda, PE. Em 2010, publicou o livro YUBA. Em 2011, foi premiada com a terceira colocação no concurso do Museu do Futebol no Dia Mundial da Fotografia. Em 2012, recebeu o primeiro lugar no Prêmio SESC de Fotografia MARC FERREZ.

Fique com um pouco de Lucille Kanzawa:

capa01

i-2441

images

Lucille_Kanzawa_Meninas_na_Neblina

p08a

Yuba_21

Go to Top