A escolha de Nossa Senhora Auxiliadora como padroeira da cidade deveu-se ao fato de a primeira igreja de Goiânia, hoje a Catedral Metropolitana, ter sido dedicada a Maria sob esse título, em 24 de dezembro de 1937, pelo então arcebispo de Goiás, Dom Emanuel Gomes de Oliveira.

Não foi por acaso que Maria Auxiliadora foi escolhida para ser a protetora de nossa cidade. Há um fundamento histórico-afetivo para essa escolha: a primeira missa celebrada no local da futura catedral de Goiás, à sombra de uma árvore do cerrado, tinha no altar um rústico quadro com a efígie de Nossa Senhora Auxiliadora. Era intenção da primeira dama do Estado, Dona Gercina Borges, colocar sob o patrocínio da Virgem Auxiliadora a cidade que seria a nossa bela Goiânia.

O primeiro templo religioso de Goiânia foi uma capela onde se instalou a 1ª paróquia da cidade, cujo orago é Nossa Senhora Auxiliadora. Ao ser criada a Arquidiocese de Goiânia, Nossa Senhora Auxiliadora foi designada sua padroeira principal. E, num gesto histórico e patriótico, a Câmara Municipal através de uma lei, outorgou o título de Padroeira da cidade de Goiânia à Nossa Senhora Auxiliadora e declarando feriado municipal o dia de sua festa litúrgica: 24 de maio.